TURISMO BAGE
Secretaria de Turismo de Bagé

Alto Camaquã

O Alto Camaquã constitui a parte superior da bacia do Rio Camaquã, que trespassa os municípios de Bagé, Caçapava do Sul, Canguçu, Lavras do Sul, Piratini, Pinheiro Machado, Santana da Boa Vista e Encruzilhada do Sul.

Trata-se de uma região altamente diferenciada em termos de solos por suas formações rochosas, sua vegetação com um mosaico de campo e florestas naturais, pelas formas tradicionais de produção na pecuária de campo nativo e familiar, belas paisagens montanhosas e sua participação na história de Bagé e do estado.

É um território que permaneceu à margem dos modelos convencionais de desenvolvimento, onde está sendo promovida a transformação de sua realidade social e econômica de forma sustentável através da valorização dos recursos naturais e culturais do local, dos conhecimentos e experiências das pessoas - frutos da interação histórica entre as pessoas e seu meio físico – e dos produtos locais.

Desde 2008 instituições públicas e privadas trabalham na promoção do desenvolvimento territorial endógeno e sustentável do Alto Camaquã.

Atualmente a região conta com uma organização em Rede composta por diversas associações comunitárias de oito municípios, todas filiadas à Associação para o Desenvolvimento Sustentável do Alto Camaquã – ADAC, que é uma associação civil sem fins lucrativos que tem como objetivo promover o desenvolvimento sustentável do território. A Rede de Produtores e Empreendedores do Alto Camaquã – ReAC, congrega mais de 300 produtores.

Saiba mais sobre o Alto Camaquã em

http://www.altocamaqua.com.br/.

 

Alto Camaquã*

Alto Camaquã is the upper Camaquã river basin. The river flows through the cities of Bagé, Caçapava do Sul, Canguçu, Lavras do Sul, Piratini, Pinheiro Machado, Santana da Boa Vista and Encruzilhada do Sul. The region is known for its relevance in the history of the city and the state, but also for its rocky terrain, vast fields, native forests, beautiful hilly landscapes, and traditional cattle raising on natural pasture.

It is a territory that remained on the fringe of conventional progress for a long time. Now it is undergoing sustainable socio-economic growth based on the respect for local natural and cultural resources, and for local people’s knowledge and experiences, which result from their historical interaction with their own environment and local production. Since 2008, public and private institutions help fostering endogenous sustainable development of Alto Camaquã.

Nowadays, the region is supported by a network of community associations from eight municipalities affiliated to the Association for the Sustainable Development of Upper Camaquã (Associação para o Desenvolvimento Sustentável do Alto Camaquã - ADAC), which is a non-profit civil society organization whose aim is the sustainable development of the territory. The Network for Producers and Entrepreneurs of the Upper Camaquã (Rede de Produtores e Empreendedores do Alto Camaquã - ReAC) gather more than 300 producers.

More information about Alto Camaquã:

http://www.altocamaqua.com.br/.

 

*Versão em inglês - Unipampa Campus Bagé:

Coordenação do Projeto: Profa. Aden Rodrigues Pereira
Professora Responsável pela versão em inglês: Profa. Simone Silva Pires de Assumpção
Alunos-voluntários: Maria Eduarda Garcia Amaral Valone Pedro Aurelio Brites Quevedo Visentini

 

Alto Camaquã

El Alto Camaquã constituy en la parte superior de la cuenca del Rio Camaquã, que traspasa los ayuntamientos de Bagé, Caçapava do Sul, Canguçu, Lavras do Sul, Piratini, Pinheiro Machado, Santana da Boa Vista y Encruzilhada do Sul.

Se trata de una región altamente diferenciada en términos de suelos por sus formaciones rocosas, su vegetación conun mosaico de campo y bosques naturales, por las formas tradicionales de producción en la ganadería del campo nativo y familiar, hermosos paisajes montañosos y su participación en la historia de Bagé y del estado.

Es un territorio que permaneció al margen de los modelos convencionales de desarrollo, donde se está promoviendo la transformación de su realidad social y económica de forma sostenible a través de la valorización de los recursos naturales y culturales del local, de los conocimientos y experiencias de las personas - frutos de la interacción histórica entre las personas y su medio físico - y de los productos locales.

Desde 2008 instituciones públicas y privadas trabajan en la promoción del desarrollo territorial endógeno y sostenible del Alto Camaquã.

Actualmente la región cuenta con una organización en Red compuesta por diversas asociaciones comunitarias de ocho ayuntamientos, todas afiliadas a la Associação para o Desenvolvimento Sustentável do Alto Camaquã– ADAC, que es una asociación civil sin fines lucrativos que tiene como objetivo promover el desarrollo sostenible del territorio. La Rede de Produtores e Empreendedores do Alto Camaquã - ReAC, congrega más de 300 productores.

Más informaciones sobre el Alto Camaquã en http://www.altocamaqua.com.br/.

 

*Versãoemespanhol - Unipampa Campus Bagé:

Coordenação do Projeto: Profa. Aden Rodrigues Pereira
Professora Responsável pela versão em espanhol: Profa. Isaphi Marlene Jardim Alvarez

Discentetradutor: Vandergecilon Hernandes de Hernandes


Desenvolvido por Vitrine Brasil | X